15/09/2016 01:45

Cartão Postal de São Luís exige cuidados especiais

1429 Visualizações

Sem manutenção, obra inacabada o Espelho D’Água dos Buritis agoniza e a população reclama por atenção e cuidados especiais para com o principal cartão postal de São Luís de Montes Belos, um desafio para a próxima administração municipal.

Durante a administração do ex-prefeito Edmilson Tatico (2000 a 2003), no limiar do século XXI, São Luís de Montes Belos em plena ascensão, o então prefeito, teve a brilhante ideia de revitalizar uma área de brejo, também depositário de animais mortos, sujeira absoluta e habitat perfeito para a proliferação de mosquitos, principalmente do pernilongo – ainda não existia como hoje, a preocupação com o aedes aegypti – em um ambiente aprazível e acolhedor, o qual veio a se tornar no mais destacado cartão postal da cidade.

Mesmo sem um projeto urbanístico detalhado para utilização do local, o ex-prefeito Edmilson, atual secretário da administração e esposo da prefeita em exercício Mércia Tatico, encarou o desafio. Com sua postura visionária recuperou com recursos próprios do município um cenário antes deprimente, num saudável e agradável ambiente de lazer e bem-estar. Como também, promoveu a valorização imobiliária da área e imediações.

Entretanto, o então prefeito Edmilson por descuido ou desinteresse, não completou a construção da obra idealizada por ele, tampouco se certificou de um detalhe que poderia no futuro, comprometer toda a beleza do mais fotografado espaço de lazer da cidade. Adquirir uma área localizada dentro do espaço abrangente do Espelho D’Água, que pertencia ao empresário José Alves da Costa. Um conjunto de lotes, localizados de frente para Av. Hermógenes Coelho, principal via pública de São Luís, justamente dentro do projeto, nos quais poderiam ter sido construído casas ou lojas comerciais, comprometendo toda a harmonia lúdica e agradável do local.

Segundo Nei da Renap, vereador na época e nos pleitos seguintes, quando o ex-prefeito Sandoval da Matta assumiu a prefeitura em 1º de janeiro de 2009, no mês seguinte ele teve a cuidadosa iniciativa de adquirir a área particular pelo valor de R$ 120 mil, na qual construiu o parquinho infantil, incorporando-o às atrações do Espelho D’Água dos Buritis. Com recursos federais, através de emendas parlamentares, ampliou a oferta de lazer com a construção de duas quadras poliesportivas e um palco ao ar livre para eventos com área para os participantes.

Ainda de acordo com o ex-vereador Nei da Renap, a estrutura ambiental em que estava fundamentada sua construção era indefinida, não havia um projeto urbanístico elaborado para aquele fim, portanto, havia espaço para várias opções de lazer. Na verdade, segundo Nei o Espelho D’Água continua inacabado e sendo um desafio para a próxima administração. “O Espelho D’água é uma obra incompleta, estão sempre promovendo reformas, porque falta manutenção. A tendência é acabar por ausência de zelo, cuidado com o que já foi construído”, ressalta Nei.

O ex-vereador destaca outros espaços públicos que estão sendo deteriorados pelo tempo e pela falta de manutenção e conservação que necessitam de atenções especiais com urgência. Tais como, todas as praças da cidade, os canteiros das vias urbanas, os passeios, a sinalização urbana de trânsito, restauração do chafariz, dentre outros. São patrimônios públicos criados para o embelezamento da cidade, mas que estão precisando urgentemente de cuidados. Cartões postais que a prefeitura deveria dedicar mais atenção, os quais inequivocamente refletem no olhar curioso e atendo das pessoas que visitam São Luís.

Opinião: O empresário Lázaro Alves, montebelense nato, considera o Espelho D’Água uma obra importante para cidade, mas está precisando de cuidados, de zelo, tal como todo o centro de São Luís. Para Adaiton Moreira de Oliveira, mais conhecido como “Cueca e Meia”, morador há mais de 10 anos em São Luís, “Não tenhamos dúvida que o Espelho D’Água é um ponto de encontro da sociedade local, seja para o lazer, para fazer sua caminhada, o seu exercício físico. E nos finais semanas a pessoa que procura diversão, estar com os amigos ou namorar, frequentar um bom bar, fazer o seu lanche, comer uma deliciosa pizza no período noturno, o Espelho D’Água é o lugar ideal, por ser o point da cidade. Também é um marco de atração turística montebelense, responsável pelo pool imobiliário e a valorização dos imóveis de toda área adjacente”, destaca.

Fábio Nunes da Silva, empresário, disse que o Espelho D’Água dos Buritis, na época da sua construção e inauguração representou um acontecimento marcante para a cidade e a sociedade montebelense. Uma obra que ficará para história, sobre a qual ele poderá contar para os seus netos a importância que ela representa tanto no aspecto de beleza urbana quanto de valorização imobiliária, uma atração turística e de lazer para as pessoas de todas as idades. Ressaltou que o local antes era uma área sem proveito, sem serventia, a não ser para desova de animais mortos, criadouro de insetos e responsável pela poluição do ar, causada pelo forte odor próprio do acúmulo de desejos e da putrefação existente.

O empresário Gerli Borges Donato considera que o Espelho D’Água dos Buritis, representa um avanço para São Luís no aspecto de lazer, turístico e bem-estar social. “A construção do lago Espelho D’Água é um marco de desenvolvimento para a cidade e região. Contribuiu com a valorização imobiliária da região e uma atração a parte para os turistas, tendo em vista as inúmeras opções de lazer oferecidas tanto dentro do seu espaço físico, quanto pela quantidade de opções para se estar com amigos e familiares, seja para tomar um chopp gelado, ou mesmo, para saborear uma deliciosa pizza, comer um espetinho feito na hora e as inúmeras opções de sanduiches. Enfim, é um lugar que oferece um ambiente muito agradável”, frisa.

O publicitário Tálmom Maraiank Alvez, também conhecido por “Paulista”, residente em São Luís há mais de 20 anos, vê com bons olhos a ideia da construção do Espelho D’Água dos Buritis, numa época em que São Luís começava a crescer e a se despontar como cidade polo regional. “Sem dúvida foi um grande empreendimento urbanístico para a cidade e região. Não se pode negar que a maioria das atrações de lazer e entretenimento no horário noturno da nossa cidade se converge para o Espelho D’Água. Além dos bares e restaurantes no seu entorno, existe a feirinha que é uma atração à parte. É um ponto de encontro entre amigos seja para troca de ideias, tomar sua cerveja ou refrigerantes e sucos, como é ideal para o disfrute de inúmeras opções de degustação alimentar”, ressalta.

Dilson Paiva / Diário Montebelense