09/05/2016 09:18

Nos pênaltis, Goiás bate Anápolis e é campeão estadual pela 26ª vez

135 Visualizações

Nos pênaltis, Goiás bate Anápolis e é campeão estadual pela 26ª vez
Em confronto muito disputado, os dois clubes tiveram diversas chances de levar o confronto.

Nos pênaltis, o Goiás venceu o Anápolis por 5 a 4, no estádio Serra Dourada, e é o campeão Goiano de 2016. Após empatar em 0 a 0 o jogo de ida, os clubes terminaram o jogo de volta com o placar em 1 a 1, forçando a decisão nas penalidades máximas. Esse foi o 26º título do Goiás do campeonato estadual.


Em confronto muito disputado, os dois clubes tiveram diversas chances de levar o confronto. O Goiás saiu na frente, aos 19 minutos, com gol de Léo Sena, que completou o cruzamento rasteiro de Juninho. Ainda no primeiro tempo, aos 46, o Anápolis empatou. Em bonita jogada, Platini deixou Hélder livre na cara do gol e o volante mandou para as redes.

Nas penalidades, o Goiás foi superior e bateu o Anápolis por 5 a 4. Nenhum erro dos atletas do Esmeraldino: Daniel Carvalho, Anderson Salles, Wendel, David Duarte e Rafhael Lucas acertaram as suas batidas. Do lado do Anápolis, Lucas Sotero, David, Jânio e Marcelo Ferreira fizeram as suas cobranças, enquanto Leandro Euzébio desperdiçou a sua cobrança.

O Goiás teve a melhor campanha do estadual na fase de grupos, terminando na liderança do grupo A, com 32 pontos. Na semifinal, o clube enfrentou o Vila Nova, empatando o jogo de ida e batendo o Tigre na volta.

O JOGO

O Anápolis pareceu não se intimidar no Serra Dourada e começou melhor. Marcelinho conseguiu um bom chute de longe, mas foi Helder quem quase fez um golaço. Aos 10 minutos, em cobrança de lateral jogada direto na área, o camisa 7 emendou uma bicicleta e quase encobriu Ivan. Seria um lindo gol.

O sustou acordou o Goiás, que foi para cima e não demorou para abrir o placar. Aos 19 minutos, Juninho fez boa jogada pelo lado esquerdo da área, cruzou rasteiro na altura da marca do pênalti para a chegada de Léo Sena completando para o gol.

Logo em seguida, o Anápolis perdeu grande chance de empatar. Em falha da zaga, a bola sobrou livre para Marcelinho, que tocou para Platini livre finalizar, mas o atacante demorou muito e foi bloqueado. Na sobra, a bola ainda voltou para Marcelinho, mas ele chutou para cima.

Depois da parada técnica, aos 22, os ânimos dos atletas arrefeceram. Até que aos 46 minutos, o Anápolis marcou o seu gol. Em grande jogada, Marcelinho lançou para Michel Platini, que escorou de primeira para Hélder, que, livre, chutou de canhota para as redes.

Na volta dos vestiários, o Galo subiu melhor e quase virou o confronto. Aos três minutos, Marcelinho teve boa arrancada e rolou para Marcelo, que chutou perigosamente. Ivan espalmou para frente, Felipe Baiano chegou para concluir, mas isolou a bola.

O Goiás respondeu imediatamente. David cobrou falta direto na área, Rafhael Lucas ganhou de todo mundo, cabeceou com muito perigo e Felipe fez um milagre. Aos 15, outra grande chance do Anápolis. Em lateral jogado direto na área, Felipe Baiano completou para o gol e obrigou o goleiro Ivan a se esticar todo para evitar a virada.

A metade final da segunda etapa teve pouquíssimas chances de gol. O cansaço e a tensão dos atletas determinaram uma postura mais precavida das duas equipes, que pareciam consentir em decidir o estadual nos pênaltis. Com três minutos de acréscimo, o árbitro Bruno Rezendo apitou o fim do tempo regulamentar.

Nas penalidades, o Goiás foi superior e bateu o Anápolis por 5 a 4. Nenhum erro dos atletas do Esmeraldino: Daniel Carvalho, Anderson Salles, Wendel, David Duarte e Rafhael Lucas acertaram as suas batidas. Do lado do Anápolis, Lucas Sotero, David, Jânio e Marcelo Ferreira fizeram as suas cobranças, enquanto Leandro Euzébio desperdiçou a sua cobrança.

FICHA TÉCNICA
GOIÁS 1 (5) X (4) 1 ANÁPOLIS

Local: Serra Dourada, em Goiânia (GO)
Data: 8 de maio de 2016, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Bruno Rezende (GO)
Assistentes: Fabrício Vilarinho (GO) e Tiago Gomes (GO)
Público: 16.504 pagantes

Cartões amarelos: Michel Platini (Anápolis), Patrick (Goiás)

Gols: GOIÁS: Léo Sena, aos 19 minutos do primeiro tempo; ANÁPOLIS: Hélder, aos 46 minutos do primeiro tempo;

GOIÁS: Ivan; Sueliton, David Duarte, Anderson Salles e Juninho (Patrick); David (Daniel Carvalho), Wendel, Wagner e Léo Sena; Carlos Eduardo (Cassiano) e Rafhael Lucas
Técnico: Enderson Moreira

ANÁPOLIS: Felipe Garcia; Marcelo Ferreira, Renato Justi, Leandro Euzébio e Rafael Furlan (David); Toró, Felipe Baiano, Hélder e Lucas Sotero; Marcelinho (Rafael) e Michel Platini (Jânio)
Técnico: Waldemar Lemos