10/02/2016 13:13

Mulher morre de dengue hemorrágica em Águas Lindas de Goiás

133 Visualizações

Mulher morre de dengue hemorrágica em Águas Lindas de Goiás

Vítima, que era portadora de anemia falciforme, chegou a ser atendida em um hospital de Brazlândia, mas não resistiu

Uma mulher morreu vítima de dengue hemorrágica em Águas Lindas de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. Maria Cardoso de Oliveira, 45 anos, morava na zona rural, próxima de Brazlândia e chegou a ser atendida em um hospital do município, mas não resistiu.

A morte de Maria Cardoso é o segundo caso na região. Águas Lindas ocupa a 10ª posição no ranking das cidades goianas com mais casos de dengue, até agora 120 casos foram confirmados.

Em entrevista à CBN Goiânia, o secretário de saúde do município, Eduardo Ranguel, contou que a mulher trabalhava em Brasília e ainda não há informações de onde e como ela foi infectada pela dengue. Ela também era portadora de doença hereditária. “Ela também era portadora de uma doença chamada anemia falciforme, nós estamos investigando até que ponto que a dengue contribuiu para o agravamento da doença”, afirmou.

Em relação ao combate do mosquito, Eduardo explicou que equipes estão trabalhando incansavelmente. “Nós estamos trabalhando de uma maneira bem dedicada, de maneira incansável. Não basta o poder público fazer sua parte, é necessário que a população de fato esteja engajada neste combate ao mosquito”, pontou.

O secretário explicou que na cidade já foi realizado um ciclo de combate ao mosquito. As equipes estão visitando todas as casas. No entanto, os imóveis fechados continuam sendo uma preocupação. “Estamos realizando mais um ciclo de combate ao mosquito, visitando porta a porta, cada residência. A melhor forma de combater o mosquito é evitar que ele nasça. Os imóveis fechados trazem muito preocupação. Brazlândia se caracteriza como uma cidade-dormitório e mais de 30% dos 90 mil imóveis que visitamos estavam fechados”, afirmou Eduardo.

A cidade ainda não possui uma lei, está em tramitação, que possibilite a entrada nos imóveis fechados. No entanto, Eduardo afirmou que o governo junto com o Ministério Público estão estudando uma forma para resolver a questão. “Estamos tentando encontrar uma estratégia para que possamos tomar uma medida mais drástica contra esses imóveis, mas antes vamos fazer mais uma visita antes para confirmar que eles estão realmente vazios”, concluiu.

Fonte: Opopular